sábado, 27 de fevereiro de 2010

VOCÊ TEM CERTEZA QUE SABE MESMO QUEM É VOCÊ?


Por trás do personagem: o filho, o pai, o marido, o trabalhador, o religioso... Quem é você?

Quem é você quando tiras a farda e ficas livre das tuas obrigações?

Quem é você onde ninguém vê? Quem é você onde só Deus vê?

Quem é você quando ninguém exige educação, santificação? Quem é você além da comunicação? Quem é você além dos convívios?

Quem é você quando você entra em estado de solidão; quando a ninguém mais você
precisa causar boa impressão, quem é você?

Essa pergunta nem mesmo você pode responder, mas Deus quer te fazer saber!

Existe algo escuro dentro de você, lá você está sufocado, trancado, enclausurado... Este algo está sobrevivendo por trás da tua aparência, onde só Deus vê – esse é você!

Portanto não fique maquiando a tua escravidão, Deus quer te dar libertação.

Edson Carmo

video

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

TRAGA UM SIGNIFICADO NOVO A EXISTÊNCIA.


Muitas vezes sou repreendido por dar outros significados às palavras. Quando dou o meu próprio significado às palavras, logo me dizem: “não é isso o que está no Aurélio!” Então eu pergunto: O que eu tenho a ver com a definição de amor do Aurélio? A definição de amor do Aurélio é a definição dele, não a minha!

Quando aceitamos a definição dos outros, então não podemos enxergar, conhecer, exprimir, a nossa definição. Para muitos o sol se põe; para mim ele está sempre ali – a terra é quem gira em torno dele.

Na escola somos ensinados que Pedro A. Cabral descobriu o Brasil. E se não colocarmos esta resposta na avaliação, certamente seremos punidos com um Zero. Será que isso é a verdade? Quando Pedro A. Cabral chegou aqui, neste pedaço de terra, ele já não estava descoberto? Se não, o que dizer dos índios que moravam aqui? Por ventura eles não eram gente? Ou será que eles eram apenas terra, árvores...?

Não acredito na mente coletiva, não vejo as coisas da mesma forma que a massa; suas definições não são as minhas definições – e não deixe que sejam as suas. Seu sentimento é peculiar, é singular, eles são seus – como você pode defini-los com o significado dos outros?

Cuidado! Tome consciência da realidade; experimente por você mesmo; tire as suas próprias conclusões – se não, você vai acabar pensando, até mesmo, que você é o que você não é! Você acabará caindo no erro da maioria. A maioria pensa que é o corpo! Coisa que nem o corpo é capaz de pensar!

Edson Carmo

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

A CIRCUNFERÊNCIA NÃO É O SEU SER!


O seu ser não é a sua circunferência. Tudo bem que a circunferência envolve o seu ser - é inevitável! Mas não perda a consciência, perceba, entenda, compreenda que a circunferência não é o seu ser!

A circunferência é o seu fazer, mas o seu fazer não é o seu ser. O fazer é algo que pode ser escolhido – você escolhe fazer isso ou aquilo; fazer ou não –, mas você não pode escolher o seu ser. Por ventura você pode escolher o seu ser?

A circunferência também é o seu ter – você pode ter isso e aquilo –, mas o seu ter não é o seu ser. Ora, o fazer e o ter podem ser abandonados... Mas como abandonar o seu ser, se ele é você?

Seu ser é a sua verdadeira natureza. Seu ser está sempre com você e você não pode escolhê-lo. Seu ser está sempre com você e você não tem que fazer nada para tê-lo. Seu ser é o fato, e você é ele. O seu fazer, o seu ter, não são o fato. Todas estas coisas são subprodutos do fato – porque você pode fazê-las acontecer ou não. E o que pode ser escolhido, não é o fato – e por isso não pode ser você.

Minha abordagem é que você não é nada do que você pode fazer ou ter. Você já é, e nada pode ser feito quanto a isso. Lembre-se: a sua escolha é sempre o seu fazer e o seu ter e ambos não são o seu ser!

Se você não encontrar o seu ser, você estará perdido. Se você não conhecer o seu ser, você só terá alcançado a mortalidade, não conhecerá a imortalidade. Se você não descobrir o seu ser, não será capaz de sair do inferno de miséria, sofrimento e angustia.

Portanto encontre o seu ser...

Edson Carmo

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

NÃO É VOCÊ O COITADINHO!


Existem muitas pessoas que fazem questão de se mostrarem coitadinhas. Mas quem de fato é o coitadinho? Olhe, perceba – o coitadinho não é mais que um personagem criado pela mente! O coitadinho não passa de um pensamento! Quantas coisas na mente são de fato reais? Por que você acredita tanto nesta fazedora de enganos? Diga-me: sem a idéia de coitadinho, onde o coitadinho existirá?

Eu sei que os pensamentos são poderosos; eles criaram boa parte deste mundo. E se é assim, como os pensamentos não teriam poder para criar um pobre coitadinho?

Mas se existe um coitadinho, uma coitadinha, certamente este ou esta não é você! O coitadinho, a coitadinha só existe por causa dos seus pensamentos; existem porque você vê tal pensamento e entende que é você.

Não se engane! Os pensamentos vêm e vão, mas você está sempre aí. Você é algo separado disso...

Abandone esta idéia, este pensamento de que você é um coitadinho – e tudo será diferente! Você vai ver.

Edson Carmo

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

DA CONSCIÊNCIA À INCONSCIÊNCIA


Quando foi que viemos a ficar inconscientes de quem somos? Quando esquecemos que somos consciência e passamos a pensar que somos o corpo! Como foi que a idéia de ser o corpo entrou em cena? Quando a consciência se identificou com o corpo – o seu instrumento!

É através do corpo que a consciência pode se manifestar e provar. E foi exatamente no manifestar e no provar que ela acabou se identificando, se confundindo, se misturando com o instrumento – o corpo. Então a consciência passou a tomar o instrumento, o corpo, como sendo ela. E agora, é essa identificação secundária que acreditamos sermos nós.

Esta é a formação básica do EGO. Precisamos voltar a sermos CONSCIÊNCIA!

Edson Carmo

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

RELIGIÃO E VERDADE


VERDADE! Será que as pessoas sabem mesmo o que é isso?! Verdade não pode ser aprendida, apenas conhecida; não é um nome que se possa decorar! Então quem pode ensinar sobre a Verdade? O Mestre Jesus Cristo disse: “Conheçam a Verdade...” Ele também disse: “Eu Sou a Verdade...” O que significa conhecer Jesus Cristo? Por ventura conhecê-lo significa, conhecer o filho de Maria? O Judeu notável, o miraculoso, o milagroso? As palavras dEle?... Se fosse isso – sem exceção – todas as religiões ditas cristãs conheceriam a Verdade, e por conta disso todos os seus adeptos seriam libertos de seus males, suas prisões... Mas não é isso que está acontecendo, não é a Verdade que estão conhecendo, por isso mesmo o povo esta se perdendo, perecendo...

A Verdade é como o espaço; a religião é como o vento. A natureza do vento é agitação; do espaço não-agitação. O espaço não se agita, mas o vento não pode existir sem agitação. O espaço existe independente de haver o vento ou não, mas o vento não existe sem o espaço. O espaço nunca é afetado pala agitação do vento, mesmo que seja um tornado. A Verdade é como o espaço, a religião e seus movimentos, pensamentos, são como o vento. Por acaso o espaço sofre com o movimento do vento? Por acaso o espaço é modificado pela ação do vento?

A Verdade é imperturbável, imutável. A religião muda consoante a mente de seus arautos.

Lembre-se: o vento (a religião) pode até se aproveitar do espaço (Verdade), mas o espaço não é a o vento.

Edson Carmo

sábado, 13 de fevereiro de 2010

CARNAVAL? POR QUE NÃO ALMAVAL OU ESPIRITOVAL?


A palavra carnaval é de origem incerta, tem mais de uma versão. Para uns significa carnem levare, carnelevarium, carne vale (que significa "a carne se vai"), a véspera da quarta-feira de cinzas – hora em que começa a abstinência da carne na quaresma. Para outros a palavra carnaval não é mais que festa da carne.

Para mim não interessa o verdadeiro significado da palavra, eu posso vê o que o carnaval é na prática. Você também pode ver?!

A Teologia classifica o todo humano em três partes: corpo, alma e espírito. São três corpos, cada um com suas peculiaridades, necessidades e atributos. Por exemplo: o prazer pertence ao corpo(carne), a felicidade pertence a alma e, a alegria é pertencente ao espírito. O significado do carnaval hoje é basicamente: “a carne em festival”. Festival do latim = festivus = festa. Assim podemos dizer que carnaval é mesmo carne em festa.

Carnaval pode até dar prazer à carne, mas será que proporciona de fato felicidade e alegria para a alma e o espírito? Quem é mais importante, o corpo, a alma ou o espírito?

Eu gostaria que as pessoas gostassem – da mesma forma que gostam de carnaval – de almaval = alma em festa; de espiritoval = espírito em festa.

Certamente estas outras duas festas não promoveriam tanta prostituição, com suas doenças venéreas; tanto consumo de drogas, com suas dependências químicas; tanta violência, com seus graves ferimentos e até morte...

Boa parte dos brasileiros neste momento está colocando a carne em festival. E a carne é apenas nossa herança animal. Não se valoriza tanto a alma, o espírito, daí toda calamidade, toda agonia e angustia.

Minha prece é para que Deus nos ajude a transcender o animal, nos ajude a alcançar o espiritual para que nos tornemos mais humanos.

Edson Carmo

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

ILUSÃO COM FAMA DE VERDADE


Um amigo me perguntou:

“Por que na nossa sociedade nós valemos o que temos, e não o que somos?”

Eu o disse:

“É por causa do nosso treinamento; por causa do nosso condicionamento. Já na infância somos ensinados que não somos. É assim que acontece: o pai olha para o filho e o pergunta, “o que o meu filho quer ser quando crescer?” Observe, o filho não é ainda, ele ainda precisa ser. E o que é ser nesta forma de tomar a palavra?! Ser neste contexto é: ter um diploma, uma posição, dinheiro, poder, propriedades...”

De fato, para a sociedade não somos a verdade, e sim uma ilusão que se manifesta na imagem que as pessoas criaram de nós.

A sociedade tem treinado as crianças para se comportarem vivendo como se fossem apenas o objeto da percepção. E cada criança tem se identificado com isso, cada ser humano tem vivido como se fosse o corpo, o nome, o título, a imagem que tem de si ou a imagem de si criada pela sociedade. Mas ninguém é isso em realidade, nós somos a consciência que percebe que nada disso é verdade.

Edson Carmo

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

POR QUE O SOFRIMENTO?


Existem coisas que parecem paradoxais, mais não são. Há coisa que se pensa ser a causa do sofrimento, mas não é. Se fosse, não seria o sofrimento de um, mas de todos. Observe! Para uma pessoa, ficar sozinha é sofrimento; para outra é gozo. A experiência de ficar sozinho é o sofrimento? É claro que não! Se assim fosse não seria possível com a mesma experiência o gozo. O ato de colocar a mão sem nenhuma proteção no fogo sempre queima. Você já viu alguém colocar a mão no fogo e tirá-la molhada? É impossível! Portanto, você sofre não por está experienciando o sofrimento, mas por não está gostando da experiência. Lembre-se: O sofrimento não pode lhe atingir por decisão dele. Você sofre por decisão sua!

O apego, o gostar das coisas é a raiz básica do seu sofrimento. Quando você escolhe o que você deveria experienciar - você sofre. Quando você tem uma idéia de como as coisas deveriam ser, o que você merece e o que não merece - você sofre. Onde quer que haja apegos, orgulho, desejos ou julgamentos - há sofrimento. Quando não desejo, quando não me identifico, quando não me apego, quando não escolho... não há sofrimento. A dor é inevitável por causa do corpo, mas ninguém é obrigado ao sofrimento.

Edson Carmo

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

O OBSERVADOR E O OBSERVADO


A bíblia diz que somos templo e morada do Espírito. Assim, Deus é o Sujeito e nós os objetos. Nosso corpo com sua biologia é o objeto. Nossos medos, nossos desejos, nossos prazeres são os objetos. O objeto não vê, Deus vê. E Ele está dentro de nós, contemplando todas as coisas, é Ele quem nos orienta a fazer ou não – escute-O!

A bíblia também diz que podemos ser casa de espíritos imundos. Não dê lugar a eles, cuidado, eles também “orientam” – não os escute!


Edson Carmo