sábado, 3 de setembro de 2011

O QUE EU GOSTO ME DÁ PRAZER!



Dizem que questão de gosto não se discute. Mas, mesmo assim, quero dizer algo sobre esse assunto! E começo perguntando: “Quem tem o gosto? Será o experimentado ou o experimentador?

As pessoas estão buscando sabor, cheiro, prazer, alegria, felicidade, paz... nas coisas do lado de fora. Mas será que é do lado de fora que essas coisas estão?

Por que um gosta de um tipo de comida e outro não? Por que um gosta de um tipo de música e outro não? Por que um gosta de frio e o outro de calor? Será que o gosto está nas coisas ou nas pessoas? Se uma coisa é realmente gostosa, por que não encontra unanimidade?

Observe! Quem gostaria de beber água, se não fosse à sede? Se a água não tem sabor e nem mesmo cor?! Nesse caso o sabor da água não é a sede?

Você já deve ter comido sua comida favorita sem sentir sabor nenhum, quando você estava doente! Na ocasião, todos comeram da mesma comida, todos atestaram o sabor, mas você não sentia, porque a doença te impedia. Nesse caso, onde não estava o sabor? Na comida ou em você?

Responda a você mesmo: Você bebe água por alguma necessidade psicológica? Existe alguma vaidade no seu ato de beber água? Você ganha algum prêmio por isso? Algum status?

Você bebe água desde a sua mais tenra infância, e continuará bebendo enquanto viver. Isso nunca lhe deixará enjoado, frustrado. E sabe por quê? Porque você não está fazendo isso para ter sucesso; para ter reconhecimento; para receber elogios; para ter prazer... Na verdade isso nem mesmo é um fazer, isso é um acontecer. Não é um gosto mental, é algo existencial.

Assim, se você está fazendo algo para ter prazer, então esse prazer nunca se estabelecerá. Você estabelecerá uma meta e conseguirá, mas isso não te satisfará. Fará outra coisa e nunca estarás realizado. Portanto faça pelo prazer de fazer, e não para ter prazer. Você verá que o prazer está em você, e não naquilo que você pode vir a ter.

Lembre-se o prazer, a alegria, a felicidade não está em uma determinada coisa. O prazer, a alegria, a felicidade e a paz, estão na atenção, no coração que você põe em qualquer coisa. Você gosta exatamente daquilo que você põe o seu coração e a sua atenção.

8 comentários:

Ângela disse...

este prazer podemos chama-lo também de livre arbítrio pois quando fazemos algo pelo o prazer de fazer sabendo que essencial nas nossas vidas e nunca por necessidade então não venho senti sede nem fome de algo pra preencher prazer naquilo que pode vir a ter.

Lua Nova disse...

É... muito inteligente essa argumentação. Vc tem absoluta razão quando diz que tudo que buscamos do lado de fora em verdade está dentro de nós, mas costumamos ouvir muito mais o mundo do que a nós mesmos.
Parabéns pelo texto.
Beijokas e um fds ideal pra vc.

Vou por a frase: "o sabor da água está na sede" no sidebar do meu blog com um link pra cá. Passe lá pra ver, ok?

Lu Araujo disse...

Me caiu o queixo aqui!(kkkk)

Isso foi FENOMENAAAL!!!!

MUITO BOM MESMO!

Ah,li as postagens anteriores,ainda que em atraso(rsrs),a que fala sobre livre arbítrio e a anterior a ela.SÃO ÓTIMAS TBM...

TENHA UM BOM FINAL DE SEMANA AMIGO!! :)

Anônimo disse...

Nossa, bem bacana
Parabens msm !

Edson Carmo disse...

Querida companheira de labuta, Ângela!

De fato, gozar do livre-arbítrio – que é viver livre das escolhas do ego – é um grande prazer, eu chamaria de beatitude da vida.

Grato pela participação. Abraços fraternais do irmão,

Edson Carmo

Edson Carmo disse...

Lua Nova,

“tudo que buscamos do lado de fora em verdade está dentro de nós”

É por isso que ninguém consegue ser bom de fato, antes de encontrar a bondade dentro de si.

Grato pelo seu apoio. Aceite um grande abraço do amigo,

Edson Carmo

Edson Carmo disse...

Querida amiga Lu Araujo,

hahahahahahahahahaha você é ótima!!!

Grato, muito grato pelos seus depoimentos; seu apoio...

Um grande abraço do amigo,

Edson Carmo

Edson Carmo disse...

Querido(a) amigo(a) Anônimo,

Grato pela participação!

Abraço do amigo,

Edson Carmo