quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

A EDUCAÇÃO O ALUNO E O EDUCADOR


Aprendi que a palavra educação tem como sentido primordial: retirar de dentro para fora... ou, conduzir de dentro para fora... Escolho a palavra retirar, porque entendo que o educador tem a tarefa de retirar a ignorância do aluno de dentro dele para fora dele, e, o aluno por sua vez, tem a tarefa de retirar de dentro para fora do educador o conhecimento nele contido. Mas a grande pergunta é: Será que aquilo que hoje chamamos de educação processa-se assim? Ou será que estão colocando o que querem, de fora, para dentro? As pessoas estão indo a escola para aprender o que querem saber ou o que querem que elas saibam?

Será que a educação, nos moldes em que se encontra hoje, está certa? Será que o motivo pelo qual o aluno vai a escola está correto? Será que os motivos que leva o educador a sala de aula está correto? Será que o aluno está de fato sendo educado? Será que o educador é educado? O certo é que a educação tem falhado – isso porque tem alguma coisa errado!

Se o educador for incapaz, seu produto também será incapaz. E isso é um grande problema, porque não é o educador que está sendo forçado a aprender, e sim o aluno. O educador está ensinando! E o que ele está ensinando?

Edson Carmo

12 comentários:

Wanderley Elian Lima disse...

Meu amigo Edson
Para mim o professor não educa, quem educa é a família, o professor instrui, ensina transmite conhecimentos. Hoje habituou-se chamar o professor de educador numa tentativa de tirar da família a obrigação de educar. Por isso que o ensino vai de mau a pior. Alunos mal educados não permitem com suas badernas e falta de educação que os professores transmita seu conhecimento.
Forte abraço

Edson Carmo disse...

Meu amigo Wanderley,

Eu gostaria que você soubesse que sou um educador e, em segundo lugar, gostaria de dizer que concordo com você; mas a questão é que os pais também foram alunos – são produtos de educadores. Quando falo educador estou usando a palavra apenas para identificar o ofício, não a qualidade. Quero dizer que muitos profissionais estão em muitas funções, não porque tem qualidade, mas porque tem necessidade.

Forte abraço

Edson Carmo

Irene disse...

Oláaa

Edson, vc falou sobre um assunto muito importante msm. A educação no Brasil tem sofrido muito e é bom ter alguém que se importe em debater sobre ela a fim de melhora-la.
Então, para mim, o problema na educação não é muito o sistema de ensino....todo mundo fala mal das escolas publicas e, realmente, não são as melhores, mas eu estudei em escola publica e consegui aprender muitas coisas importantes.
Acredito que aquela velha e conheçida frase funciona (quem faz a escola é o aluno). Se o aluno tem vontade de aprender, ele vai aprender em escola particular ou publica; em compensação, se ele não quiser aprender, não há professor que consiga ensina-lo.
Mas, por outro lado, confesso que vejo muitos professores mal preparados ou desmotivados a ensinar os alunos...
enfim, acho que cada parte peca um pouquinho para tornar a situação assim

abraços !

Carlos Bayma disse...

Edson,
Convido-o a participar do Blog SOL – Saúde On Line.
http://saudeonline-cb.blogspot.com/
Carlos Bayma

Lumenamena disse...

Edson Carmo,

O educador precisa de ensinar postura diante do conhecimento. Nada mais nada menos do que, uma atitude de sintonia diante do conhecimento. Todos ganham com isso. Os alunos porque aprendem, os educadores/professores ampliam os conhecimentos e a escola adquire uma proposta pedagógica de maneira ágil e eficiente.
A educação só faz sentido numa relação educador-educando, em que haja reciprocidade, amizade e respeito mútuo.

Um Abraço,
Lumena

Graça disse...

Edson,

que maravilha de debate...é apaixonante!

Vamos lá, querido colega educador: na minha opinião, o educador, seja ele professor, pais, funcionário das escolas em geral (sim, é sabido que estes tb ensinam e educam...) é apenas isso: NÃO APENAS TRANSMITIR UM ENSINAMENTO, MAS VIVENCIAR O CONHECIMENTO ADQUIRIDO...ou em outras palavras, ensinar tb pelo exemplo.

Em um outro aspecto, aquele que ensina deve propor-se a ensinar, e aquele que aprende, proponha-se a aprender! Não há nem pode haver unilateralidade, a Educação é uma via de mão dupla, com certeza.

Falhas? Estão sendo vistas, analisadas, mas nada de concreto surge. Por quê? Trata-se, a meu ver, de um complexo conjunto de fatores, cuja intervenção depende em grande parte daqueles que não querem ou as ignoram, simplesmente.

O exercício de ensinar é, em essência, uma arte, em que estão resumidas as virtudes mais elevadas, a sabedoria, a paciência, a abnegação.
Mas...e os salários?
E as condições físicas das escolas?
Eu fecho meus olhos e imagino que estou numa escola linda e florida...minhas colegas dizem não conseguir esse mesmo feito e aí vem o desânimo.

Os recursos internos são inesgoáveis... tanto do educador quanto do educando! Mas os alunos se recusam a aprender! Se estou para ensinar, eu tenho que descobrir o jeito, cativar, com uma postura ética que eles próprios vão querer descobrir esse segredo...
Temos que ser diferentes, únicos.

E enquanto ninguém faz nada (ou quase nada) pela Educação, sabe o que faço, amigo? EU INVENTO.
Não tem Internet? Vamos de sucata...
Não tem espaço? Sabe aquela velha pracinha abandonada, ao redor da escola? nós temos uma aqui...
Estão feias, as paredes? Faça painéis históricos, de games, de moda, tudo dentro do bom-senso e da tolerabilidade.

E o conhecimento vai sim, ser absorvido em toda sua plenitude se não faltar o ingrediente básico e transformador de todas as esferas de nossa vida:O AMOR, "a tecnologia mais sofisticada de todos os tempos"!

Infelizmente, Edson, os educadores estão perdendo tudo que há de mais precioso em seu interior: a esperança, riqueza que precisa guardar e cultivar, mas está minando aos poucos, no seu dia-a-dia!!!

Falta decisão, virar o disco, entornar o caldo, quebrar espelhos e abrir janelas...

Ah, se eu pudesse ajudar a todos que estão desiludidos!!! Mas, dentro do possível, ao meu redor, ninguém desanima, porque eu não deixo, temos que ser vitoriosos no nome daquele que é a própria Vitória, o Senhor Jesus!

Jamais cruzar os braços tb diante disso tudo! Conquistas chegam se lutamos por elas...

Meu lindo, se seu blog tivesse moderador, eu ia te pedir para editar ese coment se quisesse...
Amo falar desse tema, por isso exagerei. Estou dodói, e os pensamentos podem não estar muito conexos...

Um beijo enorme. E me perdoe, por favor! rs
Excelente finde para vc, amigo 'mui querido'!

Edson Carmo disse...

Olá Irene,

É isso aí, o professor tem que saber tirar a ignorância de dentro do aluno, e o aluno por sua vez, tem de saber tirar o conhecimento de dentro do professor.

Obrigodo por sua rica participação.

Abraços do amigo,

Edson Carmo

Edson Carmo disse...

Dr. Carlos,

Fico-lhe grato pelo convite. Muito obrigado!

Edson Carmo

Edson Carmo disse...

Querida amiga Lumena,

Você está certa, mas a questão é que muitos professores estão na escola apenas para ganhar o tão necessário dinheiro e, o aluno apenas para ganhar o tão necessário certificado. Isso definitivamente não pode ser educação!

Obrigado por sua tão significativa participação.

Aceite beijos amigos,

Edson Carmo

Edson Carmo disse...

Querida amiga Graça, estou orando para que você fique boa!

Como você chamou de debate, então vamos lá!

Se as coisas estão indo tão mal no mundo, então os educadores precisam se reeducar. Pode apostar! O problema do mundo não é só quem está sendo educado, mas principalmente o que está educando. Assim, os educadores precisam ser retrabalhados, posto que já estão conformados, fixados, moldados, condicionados, treinados, encerrados...

Algumas vezes já se mudou um sistema por outro – as técnicas de ensino –, mas nada significativamente mudou como resultado, porque a coisa mais importante não é a técnica de ensinar, mas a inteligência com que se ensina. Se mudar o pensamento, o sentimento e a atitude do educador, então certamente haverá uma nova cultura, uma nova civilização. Olhem para a grande maioria dos educadores, vejam, eles funcionam como uma rotina; não estão realmente preocupados com o processo do pensamento, com o desenvolvimento da inteligência. Eles estão apenas fornecendo um programa, informações, vendendo formulas para os alunos passarem no vestibular... Isso não é educação, mas um meio de sobrevivência. Tornar a educação num meio de vida, para mim é a mesma coisa que explorar seres humanos em proveito próprio e nada mais.

A meu ver, a educação não está pré-ocupada em desenvolver seres humanos, e sim, máquinas eficientes para competir. Quem memoriza mais, vence mais, então transformem-se num bio-computador! Ora, um computador não tem inteligência, é apenas uma máquina sem sentimento, sem sensibilidade. Vejam, as escolas, os pais, não estão pré-ocupados em ensinar o aluno inteligência que os ajudem a lidar com os problemas da vida – é preciso apenas “estudar”, se formar, ostentar um título, ganhar dinheiro... Resultado: um autômato sem amor e sem inteligência.

Espero que isso nos traga uma profunda reflexão!

Amei tudo o que você escreveu, pelo que agradeço essa contribuição.

Em beijão bem no cerne do seu coração,

Edson Carmo

cantinho she disse...

Sensacional a pauta de hoje!
Bem, uma coisa é certa...tanto os educadores qto os estudantes não são mais os mesmos.
Tenho 35 anos e me lembro que qdo adolescente assistia já essa transformação de ambos os lados...mas esse assunto e seus questionamentos dariam um comment gigante...hehe
Beijoooo!
She.

Edson Carmo disse...

Querida She,

Minha intenção mesmo é despertar um reflexão, quem sabe todos juntos poderemos fazer alguma coisa?!

Obrigado por sua sempre agradável participação.

Beijos do amigo,

Edson Carmo