sábado, 29 de maio de 2010

O MUNDO EXTERIOR NÃO SATISFAZ O MUNDO INTERIOR


Existem dois mundos: o mundo interior e o mundo exterior. O mundo interior está tentando realizar-se com as coisas do mundo exterior – e essa é toda a frustração humana. O mundo exterior nunca se identifica com o mundo interior, mas o mundo interior está sempre se identificando com o mundo exterior.

Olhando para o mundo exterior, o que se vê? O que se vê, são coisas com tamanhos e limitações! Olhando para o mundo interior, o que se vê? O que se vê, são desejos sem tamanhos e sem limitações!

Como o limitado pode preencher o ilimitado? Como o imperfeito pode satisfazer o perfeito? Como o passageiro pode permanecer ao lado do eterno?

Veja, o lado de dentro está tentando realiza-se com o lado de fora. Do lado de dentro está à idéia de um amor perfeito, mas do lado de fora está o “amor imperfeito”. Do lado de dentro se idealiza a paz, mas do lado de fora só estão às guerras. Do lado de dentro pensa-se em aprovação, mas do lado de fora se manifesta a reprovação.

A frustração é essa: o mundo interior está se iludindo com o mundo exterior, esse que é feito de pura ilusão, essa que não permite nenhuma realização.

Tudo no mundo exterior é feito de vinda e ida, tudo é passageiro – tudo tem o seu fim. Então para que se apegar, para que se identificar, para que fantasiar?

Edson Carmo

24 comentários:

Lua Nova disse...

"A frustração é essa: o mundo interior está se iludindo com o mundo exterior, esse que é feito de pura ilusão, essa que não permite nenhuma realização."
Adorável e tristemente verdadeiro.
Conseguiste dizer coisas que sinto e vivencio e de forma admirável.
Gostei muito e daqui pra frente virei com frequência ler teus posts. Vá visitar-me e tomaremos um chocolate juntos enquanto trocamos idéias.
Um domingo relaxante para ti.
Beijos.

Tamires disse...

É incrível nossa apego as coisas efêmeras.Dessas que temos por apenas alguns instantes.Antigamente eu valorizava muitíssimo o mundo,ficava triste em pensar que um dia teria que deixar tudo o que possuia(bens).Era apegada ao materialísmo.Vai Cristo me libertou e hoje valorizo as coisas vedadeiramente essênciais.Mas é frustrante ver as pessoas(e até msm cristões)terem um apego tão exagerado a este mundo.Pura perca de tempo,e tempo é algo que se tosrna cada vez mais escasso no nosso cotidiano moderno.
Parabêns pelo post!
Um ótimo domingo!!
Me add no msn.
tammy_pantera@hotmail.com
Paz do Senhor!!

angela disse...

Lindo texto e com considerações importantes.
beijos

jair machado rodrigues disse...

Meu bom Edson, aqui estou para mais um testemunho provocado por tuas palavras, sempre tão apropriadas...tenho lido teus post mas não tenho comentado, às vezes acho que entendi e não tem o que comentar, outras não entendo tão bem, mas fica a dúvida, penso que posso falar bobagem, mas, deve ser bobeira de minha parte...O mundo exterior tenta de todas as maneiras infectar o mundo interior, que é puro, penso eu, e o teu post é claro nisso. Mas a verdade é que o mundo interior precisa da ajuda da força de vontade, do pensamento, que pode estar tanto no mundo exterior como no inteior, mas que se encaminhado para o lado certo, é ajuda importante, no mais, tento deixar minha fé em Deus me guiar, me fortalecer, porque nos dias de hoje é quase covardia, pois o mundo exterior tem muita ajuda, da mídia, dos outros, tem mais ofertas tentadoras para nossa necessidade imediatista, mas a verdade é uma só. Ou se é feliz por um período se deixando dominar pelo mundo exterior, ou a felicidade tranqila e duradoura oferecida pelo mundo interior.Ufa.
ps. Grande abraço amigo, e que paz do Senhor esteja sempre conosco.

cantinho she disse...

Uau! Clap, clap! Amei! Quanta coisa importante você falou... lerei mais vezes com toda certeza!
Bjo, bjo, querido amigo!
She.

serpai disse...

Olá Edson!

Precisamente porque a vida exterior é passageira e ilusória é que há tanta gente frustrada.

Me encantou o teu blog, oxalá o meu também te agrade se o visitas.

Além do espanhol, o meu blog também se escreve em português.

Sergio (Argentina).

Edson Carmo disse...

Lua Nova,

Que bom que você gostou! Estou seguindo seu blog e, tomaremos sim um chocolate juntos enquanto trocamos idéias.

Obrigado pela visita, pode voltar quantas vezes quiser, esse espaço também é seu.

Uma quinta-feira de feriado bem relaxante para ti.

Beijos do amigo,

Edson Carmo.

Edson Carmo disse...

Querida amiga Tamires,

Não uso o MSN, mas se quiser falar comigo tenho diálogos diários pelo gmail (http://www.baixaki.com.br/download/google-talk.htm)

Maravilhoso o seu comentário, pelo que agradeço.

Um grande abraço e Paz do Senhor!!

Edson Carmo

Edson Carmo disse...

Querida amiga Ângela,

Também é lindo a forma como tu vês as coisas. Obrigado por seu comentário.

Beijos do amigo,

Edson Carmo

Edson Carmo disse...

Querido amigo Jair Machado Rodrigues,

Seu comentário é no mínimo interessante. Muito obrigado mesmo!

Grande abraço amigo, e que Paz do Senhor esteja sempre conosco.

Edson Carmo

Edson Carmo disse...

Querida amiga She,

Clap, clap! Amo sua alegria! Obrigado por seu comentário.

Bjo, bjo, querida amiga!

Edson Carmo

Edson Carmo disse...

Olá querido amigo Sergio!

“Precisamente porque a vida exterior é passageira e ilusória é que há tanta gente frustrada.”

Que belo complemento!

Visitei o seu blog, gostei e me tornei seguidor.


Obrigado!!!

Aceite um abraço do amigo,

Edson Carmo

O Pastor disse...

texto maravilhoso.
Muitas vezes leio e não comento, mas vou comentar mais.
Continue sendo essa benção.

Eduardo Medeiros disse...

Edson, perfeita a sua colocação. Engraçado que venho postando alguns textos sobre a Cabla lá na minha Sala (não que eu seja cabalista, mas me interesso) e um dos seus conceitos é exatamente esse, com poucas modificações.

Já andastes "cabalando" antes? rssss

abraços

Edson Carmo disse...

Ao blog O Pastor,

Obrigado pelo comentário e por profetizar isso.

Um abraço do amigo,

Edson Carmo

Edson Carmo disse...

Querido amigo Eduardo Medeiros,

A cabala é um “registro” de observações, de coisas que existiam antes dela. Uma escritura não é o que antecede, mas o que sucede. Como é possível escrever o que não se viu? O Eterno fala da eternidade. O mortal da temporalidade. O sentimental dos seus sentimentos. O observador das suas observações. E assim por diante.

Falo do que percebo – não do que perceberam. É possível que eu e eles, algumas vezes, falemos da mesma coisa.

É sempre muito boa a sua participação. Obrigado por seu comentário!

Abraços do amigo,

Edson Carmo

Lua Nova disse...

Seu post suscita reflexões. Concordo com vc sobre a dicotomia que há entre nossas aspirações e as possibilidades do mundo material. Entretanto, quanto
mais nos conhecemos interiormente, menos precisamos das manifestações exteriores, menos cobramos do mundo e mais nos satisfazemos com nosso mundo interior. O conhecimento de nós mesmos demanda tempo de contemplação, dedicação e consciência.
Obrigada por me fazer pensar sobre tais coisas. Às vezes, com os problemas do dia a dia cansativo, nos esquecemos de que a vida é muito mais do que o que vemos, ouvimos e tocamos.
Beijos.

LUmeNA disse...

Sempre muito reflexivo teus textos.

O homem sempre procurou um significado para a sua existência. A forma como interpretamos é que vai determinar como pensamos a respeito de nós mesmos. Cada vez mais tem-se conhecimento e controle sobre o mundo exterior, mas se afasta cada vez mais do mundo interior.
Ensina-se os filhos a conhecer e a dominar as força da natureza, mas não se ensina a conhecer e a dominar a si mesmos.
Dá-se-lhes a conhecer cada vez mais o mundo em que vivem, mas não conhecem o mundo que é.
Cada vez mais conhecem o espaço, mas não conhecem a construção da inteligência e o funcionamento da própria mente.
Esta própria carência de interiorização, faz com que percam a oportunidade de desenvolver as funções mais profundas da inteligência, ou seja a capacidade de pensar, a capacidade de reflectir, a capacidade de analisar, a capacidade de perceber os seus limites, a capacidade de dar respostas mais maduras e a capacidade de compreender as relações humanas.

Lembremos sempre que a vida é o reflexo do nosso mundo interior.

Grande Abraço,
LUmeNA

Edson Carmo disse...

À Lua Nova

Seu comentário é complementar. Obrigado pela colaboração.

Um grande abraço do amigo,

Edson Carmo

Edson Carmo disse...

Querida amiga Lumena,

Sempre muito lindo teus comentários. Esse é profundo, poético – muito significativo.

Obrigado pela colaboração!

Um abraço do amigo,

Edson Carmo

Maxwel Quintão disse...

não poderá haver situações em que o mundo interior esteja em concordância com o mundo exterior?

Edson Carmo disse...

Querido amigo Maxwel Quintão,

Sim, quando os dois são transcendidos – não antes –, por causa das polaridades!

Um abraço do amigo,

Edson Carmo

1 Minuto para a meia noite disse...

Edson, excelente pensamento espressado; vou colar aqui algo que pode elucidar teu texto.

Monsieur Drº Louis Pasteur
"Un peu de science éloigne de Dieu, beaucoup de science y ramène."

" Um senhor de idade, viajava de trem, tendo ao seu lado um jovem universitário, que lia o seu livro de ciências. O senhor, por sua vez, lia um livro de capa preta. Foi quando o jovem percebeu que se tratava da Bíblia. Sem muita cerimônia o jovem interrompeu a leitura do velho e perguntou:O senhor ainda acredita neste livro cheio de crendices ? Sim, mas não é um livro de crendices. É a Palavra de Deus. Estou errado? - Mas é claro que está ! Creio que o senhor deveria estudar a História Universal. Veria que a Revolução Francesa, mostrou a miopia da religião. Somente pessoas sem cultura ainda crêem que Deus criou o mundo em seis dias. O senhor deveria conhecer um pouco mais sobre o que nossos cientistas pensam e dizem sobre tudo isso. - É mesmo ? E o que pensam e dizem os nossos cientistas sobre a Bíblia ? Bem, respondeu o universitário, como vou descer na próxima estação falta-me tempo agora, mas deixe o seu cartão que eu lhe enviarei o material pelo correio com a máxima urgência. O velho então, cuidadosamente, pegou no bolso do paletó e deu o seu cartão ao universitário. Quando o jovem leu o que estava escrito, saiu cabisbaixo sentindo-se pior que uma ameba. No cartão estava escrito:
Professor Doutor Louis Pasteur, Diretor Geral do Instituto de Pesquisas Científicas da Universidade Nacional da França, ‘um pouco de ciência nos afasta de Deus. Muito, nos aproxima' ."

Abraço e Saúde!

Edson Carmo disse...

Querido amigo Marcelo Hunter,

Que texto maravilhoso!!! Bem reflexivo. Obrigado por seu comentário.

Um grande abraço do amigo,

Edson Carmo