terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

ILUSÃO COM FAMA DE VERDADE


Um amigo me perguntou:

“Por que na nossa sociedade nós valemos o que temos, e não o que somos?”

Eu o disse:

“É por causa do nosso treinamento; por causa do nosso condicionamento. Já na infância somos ensinados que não somos. É assim que acontece: o pai olha para o filho e o pergunta, “o que o meu filho quer ser quando crescer?” Observe, o filho não é ainda, ele ainda precisa ser. E o que é ser nesta forma de tomar a palavra?! Ser neste contexto é: ter um diploma, uma posição, dinheiro, poder, propriedades...”

De fato, para a sociedade não somos a verdade, e sim uma ilusão que se manifesta na imagem que as pessoas criaram de nós.

A sociedade tem treinado as crianças para se comportarem vivendo como se fossem apenas o objeto da percepção. E cada criança tem se identificado com isso, cada ser humano tem vivido como se fosse o corpo, o nome, o título, a imagem que tem de si ou a imagem de si criada pela sociedade. Mas ninguém é isso em realidade, nós somos a consciência que percebe que nada disso é verdade.

Edson Carmo

24 comentários:

Florentino disse...

olá amigo os obrigado por me levares a pensar ate ai.juntos

Edson Carmo disse...

Querido amigo Florentino,

Obrigado por manifestar este movimento.

Uma abraço,

Edson Carmo

Dark angel disse...

E até já há a tentativa de calar ou abafar a consciência! Mas ela é Deus em nós.
A consciência é a Verdade, não aquela verdade que pintamos ao mundo, mas a Verdade suprema, a nossa essência, o nosso elo mais profundo com Deus. E Ele guia-nos através dessa Verdade. A ilusão que o Edson fala é-nos transmitida pelo mundo cujo objectivo é distraír-nos do verdadeiro propósito desta vida...
Beijinho de saudade, Edson...

Adalberto Day disse...

Edson
Prometo que irei dar ua boa olhada em seu belo trabalho. Obrigado por seguir-me.
Creio que a verdade absoluta não exista. Pois a verdade é aquilo que é nos ensinado primeiro pelos nossos pais. Então acreditamos, mas nem sempre aquilo que nos foi repassado é a verdade, e a nossa verdade fica sendo aquilo que acreditamos. Sua explicação é muito boa sobre esse assunto e a conciência humana.

Parabéns
Adalberto Day cientista social e pesquisador da história em Blumenau SC

Graça disse...

Após as reflexões do cientista...

Meu mui querido amigo Édson,

desde muito cedo, penso, seria preciso que as crianças fossem levadas a interiorizar aquilo que é verdadeiro, em primeiro lugar, como vc bem afirmou. Ou seja, fazê-la ver que a sua 'essência' é o que realmente importa, e que trabalho, possuir, ter, são consequencias naturais da busca, nesse seu crescimento cronológico!

Que bom se a sociedade não nos aplicasse esses condicionamentos!
e que tb não os aplicássemos aos nossos fihos e até alunos!

Que bom, amigo, se pudéssemos verdadeiramente viver no amor somente, no ser, na essência.

No tempo de Kairós..

Abraços!
Fique com Deus!

Edson Carmo disse...

Querida amiga Dark Angel,

Tenho também muita saudade de você, posto que amo a sua forma de escrever.

Obrigado por seu comentário, seu carinho...

Beijos do amigo,

Edson Carmo

Edson Carmo disse...

Querido amigo Adalberto Day,

É uma honra recebê-lo aqui. Volte quando quiser para abrilhantar este espaço com seus comentários.

Tomemos como verdade tudo aquilo que não pode ser destruído por nenhuma contra-argumentação.

Obrigado e um grande abraço do seu amigo,

Edson Carmo

Edson Carmo disse...

Minha muitíssima querida Graça,

Muita gente acha que ter educação é sair aprovado, certificado pela escola. O que é a escola? Serão as paredes, as salas de aulas, as cadeiras...? Quem educa? Serão os professores? Serão os livros? Ou será o programa de ensino? Será que os professores têm autoridade de fato para ensinar o que querem? E se ensinarem o que querem aos seus alunos, será que eles sobreviverão às demandas da sociedade? Hitler comandou o sistema de ensino na Alemanha em um determinado período – o que ele formou? Soldados, não mais que isso! Há uma hierarquia superior que educa, há um fabricante. O professor é apenas um vendedor, e o aluno, o consumidor. As crianças estão indo a escola, elas não estão indo lá para aprenderem o que querem aprender – o que escolheram aprender –, as crianças estão indo à escola para aprender o que o sistema quer que elas aprendam. A mente do sistema diz: “Os alunos devem ser treinados para pensar assim, para saber isso...” E sabe como o sistema confere e se assegura de que sua vontade está sendo estabelecida? Confeccionam avaliações, provas, testes! Simples assim. Se algum aluno não passar nos testes, não é que ele seja burro, mas ele no mínimo é desobediente, incapaz de ser manipulado – então ele também é inapropriado para a sociedade e sofrerá por isso. Um rebelde não deve ter emprego bom, não deve ter direito a universidade – não deve ter nenhum tipo de oportunidade! Está é a punição.

Alguém disse um dia, em algum lugar nos EUA: “Eu não quero uma nação de pensadores, eu quero uma nação de trabalhadores” – Máquinas! Assim os alunos estão aprendendo tudo sobre computadores, mas não sabem nada sobre os seus interiores, o que faz deste mundo cada vez mais desumano.

O sentido verdadeiro da educação e desenvolver habilidade, mas também sensibilidade. Ela deve ter a capacidade de fazer com que o aluno utilize bem os pensamentos e os sentimentos.

Obrigado amiga, por sua participação.

Um beijão,

Edson Carmo

Lumenamena disse...

É isso aí!

A escola não pode ficar indiferente à importância da sensibilidade na construção do conhecimento, bem como à importância do prazer no processo da aprendizagem.
Reconhecendo também o gosto pelo contacto com o mundo físico e o intelecto. A satisfação por esta descoberta, pode ter um papel determinante.

Deste ponto de vista, alguns dos problemas da criança e do jovem, decorrem precisamente pela falta de expressão, ou melhor, da oportunidade para dar expressão ao que sentem, o que releva a importância de uma educação pela expressão, sensibilidade.

Abraços,
Lumena

Edson Carmo disse...

Minha amiga Lumena,

“Papel determinante”
”Educação pela expressão, sensibilidade”

Sim, exatamente!

Abraços,

Edson Carmo

Sandra Timm™ disse...

E somos nós que praticamente determinamos o futuro desses pequenos seres. Então nós devemos refletir no que estamos fazendo.

Eu já fiz a minha parte.

Respiro aliviada porque acho que ainda fui de um tempo em que a gente olhava para os filhos e eles sabiam o que queríammos e respeitavam...

Tenho pena dessa geração perdida de pais.

Priscila disse...

Muito interessante esse pensamento. Realmente as pessoas pensam que são educadas quando na verdade são obrigadas a apre(e)nder o que lhes é imposto. Então a sociedade funciona de acordo com as regras estabelecidas e quem a elas não se adequa é marginalizado. É como os estudantes dizem quando estudam certas coisas: " que serventia vai ter pra minha vida eu saber que a soma dos quadrados dos catetos é igual à hipotenusa?" , sem contar todo o tempo e esforço perdidos quando falamos em vestibular, pois os alunos são obrigados a estudar todas as matérias, sem poder escolher o que querem estudar. Depois que passa, esqueçem tudo. De quê adiantou?Tudo visando o mercado de trabalho. O regime aqui no Brasil é, de fato, "adestrar" peões que não teem sua capacidade criativa estimulada, imagine sua sensiblidade...Então é difícil esperar que a educação atual promova o crescimento interior dos alunos.Interessante refletir sobre isso...

Edson Carmo disse...

Minha querida Sandra Timm,

É, tudo mudou bilateralmente. O mundo vai de mau a pior.

Obrigado por seu comentário!

Beijos do amigo,

Edson Carmo

Edson Carmo disse...

Lindo o seu texto Priscila.

Beijos,

Edson Carmo

Adh2bs disse...

Prezado Edson;
Realmente somos - mal comparando - micos amestrados, condicionados principalmente para obedecer. Faça a experiência quando encontrar alguém com a mão no bolso, por exemplo. Mande tirar secamente. O cara vai te xingar, mas depois de obedecer...
estamos cada vez mais sendo "preparados" para consumir, para produzir riqueza que será transferida aos governos, às grandes corporações... Massa de manobra em supostas eleições livres... Se não prestarmos atenção, até a imagem de Deus será usada pra nos manipular, abafar a nossa fé para dar lugar a crenças vazias, onde seja mais fácil nos dirigir.
Perdoe a extensão do desabafo, tenho orado muito e me vigiado muito (no sentido de não ceder em princípios) para não ser levado nessa falsa maré.
Grande abraço, ótimo final de semana.
Adhemar.

Edson Carmo disse...

Meu querido e prezado Adhemar,

Você tem razão, o trabalho é para nos tornar “micos amestrados”

Aqui é um lugar onde você pode desabafar. É um prazer ter seu comentário aqui!

Grande abraço, ótimo final de semana.

Edson Carmo

João disse...

olá, gostei do teu blog!
falas sobre varios assuntos mas sempre deixando a tua marca neles!

gostava de te perguntar se gostaste do meu blog (Everything for Everyone) e porquê?!

e já agora, eu estou sempre á procura de parcerias novas, por isso gostava de falar contigo sobre isso!

Edson Carmo disse...

Em primeiro lugar gostei do nome Everything for Everyone = Tudo para todos. Do ponto de vista físico, tem coisa mais ampla que isso?

Aí olho a primeira postagem (01:47), penso que você vai dizer algum “palavrão”, e o que é que você faz? Simplesmente LOL – rir! Tem coisa mais adequada para fazer nestes casos?!

Por essas e por outras, quero declarar que gostei do teu blog.

Edson Carmo

João disse...

ok, entao obrigado
so faltou foi responderme em relaçao á parceria!

diz-me alguma coisa pelo mail é mail facil!

jnsimoes@gmail.com

Edson Carmo disse...

João,

Respondi no e-mail.

Edson Carmo

cantinho she disse...

Oi meu querido! Adorei o seu ponto de vista e concordo com ele, mas para vivermos em sociedade é preciso andar conforme a música, pelo menos, às vezes, somente às vezes....hehe
Bjooooooooooooooooo

Edson Carmo disse...

Oi minha querida amiga She!

Concordo com você, mas tudo deve ser feito com a consciência de que haveremos de dar conta de todo o nosso fazer...

Um beijão no teu coração.

Edson Carmo

busquesantidade disse...

Pura verdade! No início queria criar meus filhos com coisas que não tive, devido à pobreza, tipo: tênis de marca, roupas de grife e tudo mais. Meu marido me ensinou que estava errada, e que deveria ensinar as crianças a serem amadas e queridas pelo que são e não pelas marcas que usavam. Mudei e foi bom. Depois de nossas Aldeias de Vida, isto ficou ainda mais claro. ENTRE AS COISAS E AS PESSOAS? FIQUE SEMPRE COM AS PESSOAS. Este é um de nossos lemas.
Abraço. Lourdes.

Edson Carmo disse...

Querida amiga Lourdes,

Perfeito o seu comentário.

Abraços fraternos do amigo,

Edson Carmo