terça-feira, 30 de dezembro de 2008

A DIFERENÇA ENTRE APEGO E AMOR

O apego é um dos obstáculos mais fortes a liberdade, felicidade e alegria. O apego é uma cilada porque nos faz acreditar que sem a pessoa, o objeto ou a situação à qual nos apegamos, jamais poderemos ser felizes. Mas é nos relacionamentos afetivos que a dependência e o apego mais nos enganam. Nos iludimos que nossa felicidade depende de uma determinada pessoa, e que se ela for embora de nossa vida, ela levará consigo toda e qualquer possibilidade que temos de sermos felizes. Depender de alguém ou de alguma coisa como do ar que é essencial à nossa sobrevivência, é uma doença emocional que só pode ser curada com a consciência de que tudo é passageiro no mundo dos homens e que nada podemos fazer quanto a isso. Enquanto não nos convencermos de que ninguém, a não ser nós mesmos e o Senhor Jesus Cristo, pode garantir nossa felicidade e nosso equilíbrio, continuaremos presas fáceis das armadilhas do apego. Quem ama tem a capacidade de si amar, de estar só consigo mesmo. Você deveria ser capaz de estar só, completamente só e, ainda assim, tremendamente feliz. Então, você pode amar. Então, seu amor não é mais uma necessidade, mas um compartilhar, não mais é uma carência. Você não se tornará dependente das pessoas que você ama. Você compartilhará - e compartilhar é bonito. Mas o que normalmente acontece no mundo é: você não tem amor, a pessoa que você pensa que ama não tem nenhum amor em seu ser também, e ambas clamam pelo amor do outro. Dois mendigos mendigando entre si. Como resultado, as brigas, o conflito, a contínua rixa entre os casais - a respeito de coisas triviais, coisas imateriais, coisas estúpidas! Mas continua-se brigando. O conflito básico surge porque o marido acha que não está recebendo o que tem direito de receber, a mulher acha que não está recebendo o que tem direito de receber. A mulher acha que foi enganada e o marido também acha que foi enganado. Onde está o amor? Ninguém está preocupado em dar, todo mundo quer receber. E quando todo mundo está atrás de receber, ninguém recebe. E todo mundo se sente perturbado, vazio, tenso. A fundação básica está faltando, e você começa a construir o templo sem o alicerce. Ele irá cair, desabar a qualquer momento. E você sabe quantas vezes seu amor ruiu. E, ainda assim, você prossegue fazendo a mesma coisa repetidamente. Você vive em tal grau de inconsciência! Você não vê o que você tem feito à sua vida e à vida das outras pessoas. Você continua, como um robô, repetindo o velho padrão, sabendo perfeitamente bem que você já fez isso antes. E você sabe qual tem sido, sempre, o resultado. E lá no fundo você também está ciente de que vai acontecer o mesmo novamente - porque não há nenhuma diferença. Você está se preparando para a mesma conclusão, o mesmo colapso. Se há algo que você deve aprender do fracasso do “amor”, é: torne-se mais consciente do que é o Amor de Deus. Busque a capacidade de amar sozinha, amar sem que alguém lhe ame. Muito raras pessoas são capazes de estarem felizes sozinhas – simplesmente porque não gostam de si mesmas e estão loucas para se ver livre de si nos braços de outra pessoa. Isso porque a idéia delas é que a felicidade tem de vir de alguém. Você encontra um lindo homem e logo fica feliz. Mas a mesma felicidade não surge em silêncio, na solitude de seu quarto. Se você fica feliz nestas condições, logo as pessoas vão suspeitar que você está usando alguma droga, que você está chapada. Sim, o amor é algo que nos deixa em êxtase, completamente satisfeitos. Ele nos liberta dos poderes alucinantes da mente e do corpo. É por isso que quem de fato ama é tão alegre, quando você está amando surge uma tal celebração em seu ser, que você não necessita de mendigar. Esta é a diferença entre amor e falso amor: no falso amor você se apega enquanto que no amor você libera.

Edson Carmo

6 comentários:

Rubra disse...

Isso! Exatamente isso! Nossa, parabéns, li vários posts seus agora e poxa, admiráveis seus textos! Continue a escrever!

Anônimo disse...

se o texto ja fala em jesus cristo logo não é solidão!

se o texto fala de vc E DEUS vc ja não estará mais falando de solidão e sim colocando mais existencias no meio logo não é solidão!

Edson Carmo disse...

Querida amiga Rubra,

Muito obrigado pelo comentário e incentivo.

Um abraço do amigo,

Edson carmo

Edson Carmo disse...

Anônimo,

Apego é solidão. Amor é solitude. Eis a diferença!

Obrigado pelo comentário e participação.

Um abraço do amigo,

Edson Carmo

Sana Miranda disse...

Adorei me ajudou bastante muito obrigado que deus t abencoe

Anônimo disse...

O apego sufoca a outra pessoa, nao deixa equilibrio no relacionamento porque quem se apega esta todo tempo implorando atencao enquanto o outro adquirire todo poder no relacionamento e pode ate gostar e aproveitar disso. Quem sofre de apego se contenta com tao pouca atencao que nem sabe o que e ser amado de verdade.