terça-feira, 3 de novembro de 2009

A DIFERENÇA ENTRE PREÇO E VALOR


As coisas gratuitas geralmente não recebem valor algum. Se uma coisa tem um preço as pessoas guardam, valorizam e muito. Por que as pessoas não costumam dar valor aquilo que não tem preço? É simples, é porque elas só sabem sobre preço e não sobre valor. Tudo neste mundo é pago, por tudo você tem de pagar. Quanto maior o preço que você paga por uma coisa, maior será o valor que você dará a ela. Neste mundo as coisas que tem mais valor são exatamente as coisas menos valorizadas. Qual o valor do oxigênio? Quanto se paga por ele? As pessoas não sabem o verdadeiro valor do oxigênio a menos que esteja morrendo por falta de ar.

Conta-se que Alexandre o Grande uma certa vez foi indagado por um mestre indiano com a seguinte pergunta: “se você estivesse no deserto morrendo de sede, e eu tivesse um cantil cheio de água, quanto você pagaria por ele?” Alexandre disse: “nesta condição eu pagaria com a metade de tudo que tenho”. Então o mestre disse: “eu não venderia por menos de todo o seu reino, o que ele lhe valeria se você morresse?” Alexandre concordou e o mestre riu dizendo: “o que você está fazendo? Você está perdendo toda a sua vida por um cantil de água, é isso?” Que loucura o mundo entende as coisas de forma invertida. As coisas que realmente precisamos não tem preço, mas são as mais valorosas para a vida. O sol é gratuito, a água está nos rios, o oxigênio no ar... mas as pessoas estão desperdiçado toda suas vidas por aquilo que não é essencial. Essa é toda a agonia, toda a miséria humana.

Edson Carmo

20 comentários:

Lumenamena disse...

O ser humano sempre almeja o que não tem, e para mudar isso é necessário ir mais além da sua humanidade.
Quantas e quantas coisas que temos na vida, como o Sol, a Água, o Oxigénio, e muitos de nós não damos valor. O ser humano é extremamente egoísta, quer sempre mais e nunca está satisfeito com o que tem gratuitamente.
Existe um ditado antigo que diz: "...se o novo soubesse e o velho pudesse...".
Esta frase é muito verdadeira, porque a sabedoria não chega para todos, no entanto, algumas pessoas mais velhas descobrem que deixaram para trás a sua felicidade, e preferiram aceitar o preço das coisas. De qualquer forma devemos sim buscar algo mais, e dar muito mais valor o que temos gratuitamente na Natureza.

É um problema social, um problema do ser humano em geral, uma insatisfação gerada pela ganância.

Um Grande Abraço,
Lumena

Edson Carmo disse...

Querida Lumena, o texto em seguida diz muito do seu comentário, veja:

A gente se acostuma a morar em apartamento de fundos e não ver vista que não sejam as janelas ao redor. E porque não tem vista logo se acostuma a não olhar para fora. E porque não olha para fora, logo se acostuma e não abrir de todo as cortinas. E porque não abre as cortinas, logo se acostuma a acender mais cedo a luz. E, à medida que se acostuma, se esquece do sol, se esquece do ar, esquece da amplidão.A gente se acostuma a acordar sobressaltado porque está na hora. A tomar café correndo porque está atrasado. A ler o jornal no ônibus porque não pode perder tempo. A comer sanduíche porque não dá para almoçar. A sair do trabalho porque já é noite. A cochilar no ônibus porque está cansado. A deitar cedo e dormir pesado sem ter vivido o dia.
A gente se acostuma a abrir o jornal e a ler sobre a guerra. E aceitando a guerra, aceita os mortos e que haja números para os mortos. E aceitando os números, aceita não acreditar nas negociações de paz. E não aceitando as negociações de paz, aceitar ler todo dia de guerra, dos números, da longa duração.
A gente se acostuma a esperar o dia inteiro e ouvir no telefone: “hoje não posso ir”. A sorrir para as pessoas sem receber um sorriso de volta. A ser ignorado quando precisa tanto ser visto.
A gente se acostuma a pagar por tudo o que se deseja e necessita. E a lutar para ganhar com que pagar. E a ganhar menos do que precisa. E a fazer fila para pagar. E a pagar mais do que as coisas valem. E a saber que cada vez pagará mais. E a procurar mais trabalho, para ganhar mais dinheiro, para ter com que pagar nas filas em que se cobra.
A gente se acostuma a andar nas ruas e ver cartazes. A abrir as revistas e ler artigos. A ligar a televisão e assistir comerciais. A ir ao cinema e engolir publicidade. A ser instigado, conduzido, desnorteado, lançado na infindável catarata dos produtos.
A gente se acostuma à poluição, às salas fechadas de ar condicionado e ao cheiro de cigarros. À luz artificial de ligeiro tremor. Ao choque que os olhos levam à luz natural. Às bactérias de água potável. À contaminação da água do mar. À morte lenta dos rios. Se acostuma a não ouvir passarinhos, a não ter galo de madrugada, a não colher fruta no pé, a não ter sequer uma planta por perto.
A gente se acostuma a coisas demais para não sofrer. Em doses pequenas, tentando não perceber, vai afastando uma dor aqui, um ressentimento ali, uma revolta lá.Se o cinema está cheio, a gente senta na primeira fila e torce um pouco o pescoço. Se a praia está contaminada, a gente só molha os pés e sua o resto do corpo. Se o trabalho está duro, a gente se consola pensando no fim de semana. E se no fim de semana não há muito que fazer, a gente vai dormir cedo e ainda fica satisfeito porque tem muito sono atrasado.
A gente se acostuma a não falar na aspereza para preservar a pele. Se acostuma para evitar sangramentos, para esquivar-se da faca e da baioneta, para poupar o peito.
A gente se acostuma para poupar a vida.
Que aos poucos se gasta, e que, de tanto acostumar, se perde de si mesma.

ABU

Um abraço vivo e um obrigado tranquilo,

Edson Carmo

Renata de Aragão Lopes disse...

É lamentável...

Um abraço,
doce de lira

Edson Carmo disse...

Renata,

De fato é muito triste...

Obrigado por seu comentário. Visitei seu blog, ele é muito bom, estou seguindo.

Edson Carmo

Gian Fabra disse...

Ola Edson
ótimo post e ótimo blog
voltarei mais vezes
abs

Edson Carmo disse...

Olá Gian,

Não é em retribuição a sua declaração, mas também gostei muito de seu blog – é ótimo, de muito bom gosto. Estou seguindo, e pode voltar aqui; você é muito bem vindo.

Obrigado!

Edson Carmo

Mariana disse...

Perambulando por alguns blogs gostei muito daqui!

è mto triste sim.
precisamos ver mas o valor sentimental não o material !

beijos e abraços..

Edson Carmo disse...

Linda Mariana,

Que bom que você gostou deste espaço, convido-a a voltar sempre.

Você tem razão precisamos rever toda nossa educação.

Obrigado, beijos e abraços..

Edson Carmo

Graça Pereira disse...

Edson
Benvindo á minha "Palhota"!
Gostei do seu texto e tenho que lhe dizer que tem razão. As pessoas não valorizam só apreçam!
Tenho uma amiga que, quando as filhas estavam em idade de namorar, não perguntava em relação aos candidatos: Eles como são?
A pergunta era: Eles o que fazem? O que têm?
Por isso este mundo está subvertido, perdeu seu rumo.
Um beijo amigo
Graça

Edson Carmo disse...

Graça Pereira,

Obrigado pelas boas vindas, por gostar do texto... Conheço casos semelhantes a este que você narrou, e, é uma pena!

Um beijo amigo

Edson Carmo

Prof. Israel Lima disse...

Edson
Parabéns pelo espaço maravilhoso!

Um grande abraço

Prof. Israel Lima

Mariana disse...

sem dúvidas corretíssimo como sempre.

beijos :*

Edson Carmo disse...

Professor Israel, suas palavras são uma honraria, pelo que agradeço.

Abraço,

Edson Carmo

Rejane disse...

Bom dia Edson!!
Vim te agradecer por estares me seguindo e amei o que encontrei aqui.Estou te seguindo e sempre estarei te visitando.
Um abraço!!

Edson Carmo disse...

Jejane, bom dia mesmo!!!

Obrigado, você é bem vinda aqui.

Edson Carmo

Edson Carmo disse...

Querida mariana, você disse:

“sem dúvidas corretíssimo como sempre.”

Você concorda comigo por causa da sua ótima qualidade interior. Parabéns e obrigado pelo incentivo.

beijos :*

Edson Carmo

Danilo Fernandes disse...

Otimo post!

Edson Carmo disse...

Obrigado, Danilo!

Edson Carmo

busquesantidade disse...

Que bom encontrar pessoas como você, de uma riqueza interior inestimável. Não importa o quanto você consiga colocar tudo isso em prática, pois percebo que você tem um vasto reservatório de conhecimento e a prática necessita de longo tempo vivido. Mas chegaremos lá, né mesmo? Obrigada por me seguir. Os de boa vontade são sempre bem vindos. Abraço fraterno. Lourdes Dias.

Edson Carmo disse...

Lourdes Dias

Como disse Jesus: Se os teus olhos forem bons, todo teu ser será luminoso...
Como disse São Paulo: Tudo é puro para os puros...

Que bom que tens bons olhos...

Obrigado pelo carinho,

Edson Carmo